Samsung lança o seu primeiro smartphone dobrável

O evento agendado pela Samsung era para o lançamento do novo Galaxy S10, mas o destaque desta quarta-feira no palco do Auditório Bill Graham Civic, em São Francisco, foi a apresentação do Galaxy Fold, o primeiro smartphone dobrável da gigante sul-coreana. Com especificações técnicas poderosas e quatro opções de cores, o novo produto chegará às lojas no dia 26 de abril, com preços a partir de US$ 1980 (quase R$ 7.400 na cotação atual).

— Os nossos telefones ainda são fundamentalmente limitados pelo tamanho dos nossos aparelhos. Até agora — afirmou Justin Denison, vice-presidente de Marketing de Produtos da Samsung. — Nós estamos dando a vocês um dispositivo que não se define em uma nova categoria, ele desafia as categorias.

Dobrado, o Galaxy Fold tem tela de 4,6 polegadas, que aumenta para 7,3 polegadas quando aberto, num design batizado como “infinity flex”. Fechado, ele tem a aparência de um smartphone, mas quando aberto, se transforma num tablet. A fabricante trabalhou junto com o Google numa ferramenta chamada “App Continuity”, para que o aplicativo em execução seja readaptado automaticamente ao tamanho da tela quando o aparelho for aberto ou fechado, diz o Extra.

O Galaxy Fold estará disponível em quatro cores diferentes: preta, prata, verde e azul. Para alimentar tanta tela, o aparelho possui duas baterias, uma de cada lado. O processador, segundo Denison, é o “estado da arte em sete nenômetros”, com 12GB de memória RAM e 512GB de espaço para armazenamento, comversões para 4G e 5G. Ao todo, o Galaxy Fold tem seis câmeras: três na traseira, duas internas e uma frontal.

— É um smartphone, um tablet e uma câmera que cabem no seu bolso — brincou Denison.

O diretor executivo da companhia, DJ Koh, destacou o caráter inovador do Galaxy Fold, sobretudo num momento em que a indústria de smartphones passa por sua crise de maturidade, registrando queda nas vendas pela primeira vez na história. Para o executivo, o smartphone, que se abre como um tablet, “responde aos céticos que dizem que todo o possível já foi feito, que a era da inovação dos smartphones chegou ao fim, e que a categoria smartphones é madura num mercado saturado”.

— Ocasionalmente, um novo dispositivo é introduzido e provoca uma reviravolta nas expectativas, ajustando a indústria para um novo caminho — afirmou Koh. — Com o Galaxy Fold, nós reinventamos a tela a partir do zero e criamos uma nova categoria de smartphone.

21/02/2019

(Visited 5 times, 1 visits today)